O post rejeitado: Cerveja sem Álcool

Sim, amigos da Rede Bobo estamos aqui (por motivos de força maior) para falar de um assunto que mexe com os brios dos apreciadores de cerveja: Cerveja Sem Álcool!. Forças ocultas me forçaram a ficar 60 dias sem poder beber e como refrigerante e água não saciam a sede das seis da tarde de um sábado assistindo TV, experimente tomar 2 latas de refrigerante seguidamente como se fosse cerveja e vai entender o porque, comecei a comprar a Liber (Já que a Brau Von Hacker não possui uma neste estilo) para estes momentos. Foi quando me ocorreu a ideia de experimentar as mais vendidas para preparar este post que ninguém quer assinar.

Primeiramente vale definir o que é uma cerveja SEM ÁLCOOL:

Existem 2 métodos para se preparar um refrigerante de cevada, digo, cerveja sem álcool:

  • Inibição da produção de álcool – A fermentação é interrompida antes que a levedura produza quantidade considerável de álcool a partir da mistura de malte e água aquecidos. Sempre terá um mínimo de teor alcoólico.
  • Retirada posterior – A cerveja é produzida normalmente e, depois, passa por equipamentos que separam o álcool. Marcas que usam esse processo geralmente indicam 0,0% de álcool em seu conteúdo.

Pela legislação brasileira toda cerveja que tenha teor alcólico abaixo de 0,5% é considerada “Sem Álcool”, portanto aqui vai uma ressalva: Não é porque você está tomando Kronenbier que está totalmente livre da lei seca, pois dependendo da quantidade ingerida ela poderá impactar no resultado. Mas uma coisa é certa, cerveja sem álcool não influencia no teste de reconhecimento de beleza.

image

Agora vamos ao que interessa, foram degustadas os refrigerantes das marcas: Liber, Kronenbier, Bavaria e Itaipava. Aqui vale um adendo que as marcas importadas como a Erdinger e a Brew Dog não foram testadas por não serem simples de se encontrar e por ter um custo alto.

foto Kronenbier – É a que mais se aproxima de uma cerveja comum, com amargor e  uma carbonatação honesta, dando a sensação de refrescancia, mas por alguma rezão que não sei explicar é muito enjoativa.

 

 

 

 

 

Liber

 Liber – A primeira no Brasil a ter 0,0% de álcool. Possui um creme denso, mas pouco duradouro e com baixa carbonatação. Tomando ela bem, mas bem gelada é refrescante.

 

 

 

 

Itaipava Sem Álcool

 Itaipava – Veio para competir com a Liber, pois também possui teor de 0,0%. Ao servir mostrou potencial, pois tinha um aroma (fraco, mas existente) e um creme denso e duradouro, mas foi provar um gole para descobrir que o gosto é horrível.

 

 

 

 

 

Bavaria Sem Álcool

 Bavaria – Feita do mesmo método da Kronenbier e portanto com um teor alcólico rezidual de 0,5%. Mas a semelhança para aí, pois no copo não tem creme, não tem carbonatação, não tem aroma e o gosto é extremamente metálico. Prefira um chá gelado a ter que tomar isso.

 

 

 

 

Bem de todas acima eu acabei dando preferencia para a Liber por ter um teor alcólico muito baixo e não não ser tão enjoativa como a Kronenbier, agora se me dão licença eu vou colocar a minha Ramon na geladeira.

Publicado por Sansquer

blah!!

Participe da discussão

1 comentário

  1. Gostei do post encontrei fazendo uma pesquisa no google, penso que poderias atualiza-lo quanta gente chegando aos 60 sem poder curtir essa loira gelada tão cultuada por nós cidadãos do mundo. Há novidades no mercado desde então. Vale lembrar que uma colher de xarope possui um pouco mais de teor… Desse post a Liber era a minha favorita agora não encontro mais em mercados e o pessoal novo que trabalha em supermercados nem conhece mais, de vez em quando ainda bebo as alcoólicas , mas vejo e nem é preciso perceber que o consumo entre as com e as sem está igualada. ( Gostei muito do seu site parabéns)

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: