Samuel Adams & Weihenstephan’s Infinium

Acho muito legal a ideia de cervejas colaborativas, tão legal quanto a história de cervejarias ciganas. E essa parceria é muito foda! Imaginem só, as duas cervejarias juntas somam mais de 1000 anos de experiência cervejeira (quase igual a mim :))

A ideia dos caras era fazer uma cerveja estilo “champanhe”, mas seguindo as regras da Reinheitsgebot, ou seja, sem adicionar trigo, frutas, açúcar ou outras coisas além de água, malte, lúpulo e levedura (que foi adicionada depois, já que ainda achavam que os fantasmas que fermentavam a cerveja). Mas a parte interessante disso tudo é quando você entra no site dos caras e lê: “Custom blend of two-row malted barley, malted spring white wheat, and malted oats”. Mas que porra é essa?? Não era pra seguir a merda da lei de pureza? Anyway…

Com 10,5% ABV e 10 IBU (bem abaixo da minha média), essa cerveja é leve apesar da graduação alcoólica (a HardCore IPA da Brewdog é menos alcoólica, mas pega mais no sabor), talvez o adocicado que lembra uma Belgian Dubbel esconda isso.
A cerveja também sofre um dry-hopping, esperava um IBU um pouco maior, mas tá ótimo.

Enfim, já tomei a Eisenbahn Lust e ainda tenho uma DeuS (valeu @egodinho) guardada na geladeira, por enquanto essa é a mais gostosa que provei. Ah, e comprei no EAP por R$ 63,00 pq estava pra vencer (ano passado)

Publicado por Fio Cavallari

Analista de segurança, pesquisador de malwares, guitarrista ruim e imitador do Silvio Santos.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: