Véspera de Natal em um quarto de Hotel NYC

Não, isso não é uma história de terror nem uma cena de uma possível nova versão do filme Hackers antes de eles irem para a Central Station. Este é o nome de mais uma cerveja da dinamarquesa Evil Twin.

Sem dúvida o nome é bem interessante, como os nomes das outras cervejas que fazem. Já falamos disso em um posto um pouco mais antigo aqui.

Quando vi esta garrafa na loja, foi realmente impulsão comprá-la. Uma Imperial Stout com um nome desses, sem dúvida desperta curiosidade, afinal, o que seria uma noite de Natal em um Hotel em NYC? E isso com cerveja? Uma cerveja forte? Uma cerveja alucinógena que faz com que você veja o Papai Noel? Uma cerveja que você toma e esquece de todas as coisas do Natal?

Ela ficou lá, guardada na geladeira por um bom tempinho, até que ontem antes do UFC 142 decidi provar uma nova cerveja. Sinceramente, depois da Mikkeller Black eu não tenho nenhuma expectativa de Stout em termos de ABV e etc, e como estou com birra com um posto que vi por aí em um blog sobre o quão uma Stout é uma Porter, e o quão uma Porter é uma Stout, estou com um estoque bom de ambas só para me confundir mais. Então, vamos de Stout hoje, uma Imperial Stout. (olhe nos posts mais antigos aonde falando do que é (na teoria) a Stout e uma Imperial Stout).

Com todo o misticismo que eu mesmo criei sobre esta cerveja, eu não sabia muito bem o que esperar. E, diferente do @fiocavallari, eu não pesquiso antes sobre as cervejas que vou tomar.

Ao abrir a garrafa, que estava bem gelada, não dava para sentir o cheiro de quase nada (ou nada). Na tampa já dava para sentir o cheiro de “torrado”, tipo grãos, café? malte? cevada? Tudo junto?

Após a experiência da Russian Exploit versão beta bem gelada, eu decidi esperar um pouco para tomá-la, mas jurava que a mesma não faria colarinho. Então, como podem ver abaixo, eu fiz questão de serví-la no copo do pior jeito possível na esperança dos aromas da mesma se manifestarem. Resultado: #fail nunca faça isso! NUNCA! Resultado : fez espulmão e mesmo assim o aroma não apareceu muito.  A espuma não é muito densa, mas uma cor interessante, marrom. (o copo errado também é discutível, não? apesar que pint pode ser para Stout?)

Esperei uns 10 minutos só tentando sentir os aromas, e não se manifestaram muito, apenas aquele cheiro de “queimado”; ou melhor, torrado. Me lembrou uma Oatmeal Stout que tomava há tempos atrás, mas sei que além de Stout, esta cerveja não teria nada a ver com a que eu conhecia. E e cor? Assim como as stouts provadas nos últimos tempos: pitch black/ carbono!

Depois dos 10 minutos, ainda, anda de mais interessante no aroma. Isso foi me “preocupando” porque, como assim nada de interessante? Nada. Ou melhor, quase nada, eu esperava depois de um tempo começar a sentir o cheiro do álcool, mas não. Para uma Imperial Stout de 10%, definitivamente interessante.

Bom, à degustação: diferente do que eu esperava nada, leve, não sentia muito o álcool, desecendo fácil. Um pouco “hoppy”, coisa rara em uma Stout. Realmente eu não degustei nada de especial ou diferente no gosto, café talvez. Não muito aveludada e com uma outra característica interessante: um final “seco”. Não seco como várias Porters que sim deixam um toque de torrado no “after-taste” (e pronto, lá vamos nós entrar no Porter x Stout).

Uma Stout encorpada, muito, mas muito fácil de beber (como uma Guinness, mas com 10% ABV) e com uma final “seco”. Boa, mas nada de muito excepcional.

Cerveja: Christmas Eve At A New York City Hotel Room
Cervejaria: Evil Twin
Geo: Dinamarca
ABV: 10%

Publicado por effffn

http://about.me/effffn

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: