b33r 4 n00bs – Ingredientes: A água.

Eu sou um mestre cervejeiro wannabe total. Mas, como sugeriu o ET Bilu, estou buscando conhecimento. Em breve inicio um curso e sommelier da Doemens Academy no SENAC, devoro livros, sites, videos… Enfim, não dá pra dizer que aqui é beer HACKING se vamos ficar só na informação superficial.

Como quem costuma postar aqui no blog é cervejeiro geek ou 13370, os n00bs acabam ficando perdidos na quantidade de informações compartilhadas e, talvez por medo da complexidade das brejas que provamos, fiquem com medo e não tentem sair do padrão “boteco de esquina e american lager a temperaturas congelantes”.

Então, da mesma forma que para entender o log de um sniffer você tem que entender de redes, pra entender de cerveja por que não entender primeiro seus ingredientes?

A Reinheitsgebot (a famosa lei de pureza alemã) foi uma lei promulgada pelo duque Guilherme IVda Baviera, em 23 de Abril de 1516 (mais info na Wikipedia), isso rolou muito antes das ISO 27001, PCI e SOX infernizarem a vida de muitos consultores de segurança.
Essa lei dizia que a cerveja deveria ser composta de apenas quatro ingredientes: água, malte de cevada, lúpulo. Vamos falar do primeiro ingrediente dessa lista…

A água!

Também conhecida por H2O, essa substancia vital para a maioria dos seres vivos cobre 70.9% da superfície do nosso Planeta, compõe 75% de um ser humano (no meu deve ser mais, não sou gordo, é água) e até 90% de uma cerveja. Pra você ver como esse ingrediente é importante.

E tão importante é esse ingrediente que nele estão os maiores mitos da indústria cervejeira. Ou vai me dizer que nunca ouviu aquelas histórias…

  • A cerveja de Jurupéia do Sul é melhor que a feita em São Beltrano por que a água é muito melhor por lá…
  • Nossa cerveja é feita com água cristalina de fontes subterrâneas na fazenda do ET Bilu…
  • E outras parecidas…
Realmente essas histórias fazem sentido, mas se vivêssemos nos tempos que o computador mais moderno era um ábaco! Hoje já conseguimos manipular as características químicas da água e adequá-la para a produção de cada tipo de cerveja.
A qualidade da água na região onde será produzida a cerveja ainda é importante, pois quanto mais próxima da ideal para a produção de um determinado tipo de breja menos ga$to a fábrica terá em adequar a potabilidade, PH, minerais e outras coisas da água utilizada.
Tão importante quanto a qualidade é a quantidade. É mais fácil montar uma cervejaria em uma região onde a água potável é abundante que construí-la no sertão. A figura abaixo mostra os aquíferos brasileiros.
Aí você pergunta: Tá bom seu n3rd, então por que existem diferenças entre a cerveja de Jurupéia do Sul e São Beltrano?
O processo industrial melhorou desde que Henry Ford vendia seus Ford T pretos, porém erros durante a produção podem ocorrer. Um ingrediente fora de padrão de qualidade ou de quantidade, vestígios de produtos de limpeza, oxidação do mosto durante a produção (sim, a “massa” da cerveja pode “enferrujar”), falha no transporte, variações de temperatura… Bom, tanta coisa pode dar errado que culpar a coitada da água é sacanagem.
Enfim, a água é tão importante para a nossa vida quanto para a vida da cerveja.

Publicado por Fio Cavallari

Analista de segurança, pesquisador de malwares, guitarrista ruim e imitador do Silvio Santos.

Participe da discussão

4 comentários

  1. Cresci me “gabando” da qualidade da água de Ribeirão Preto (SP), que tinha o melhor chopp por isso. Formei em química e encarei a realidade. Pai cervejeiro- Cervejaria São Domingos- criador do Sinha chopp, cerveja BlackBeer, bricava na fabrica entre barris, vasilhames, ingredientes e “aromas” diversos enquanto esperava po ele. Mãe do Fiocavallari….tá no DNA!!!! Leiotudo deste blog !

Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: